Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora
Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora

A depressão é um transtorno mental que pode afetar pessoas de todas idades, sem discriminação, independentemente de classe social ou história de vida. O artigo em questão retrata sobre a depressão-pós trauma, entenda mais a seguir.

Podendo ser chamada como o “mal do século” a depressão trata-se de um transtorno mental muito comum. Caracterizada por uma tristeza profunda e desinteresse em atividades antes prazerosas, pode afetar crianças, adolescentes, adultos e idosos de todas as idades.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) em suas últimas estimativas realizadas em 2017, cerca de 300 milhões de pessoas vivem com depressão e grande parte não possui o tratamento adequado.

O transtorno quando não tratado prejudica a vida de quem o tem, como na saúde mental e física. Além de que também pode influenciar em diversos outros pontos, como na vida profissional e nas relações interpessoais.

É importante saber identificar os sintomas da depressão pois é uma doença séria que precisa ser tratada. O tratamento geralmente ocorre por medicação específica ou psicoterapia.

Causas da depressão

Alguns fatores podem desencadear a depressão:

 

  • Neurotransmissores alterados

 

Isso ocorre em casos de  pessoas que apresentam taxas alteradas de neurotransmissores como serotonina e noradrenalina. O transtorno se dá pela falta desses neurotransmissores, cujo são responsáveis pela comunicação dos neurônios do sistema límbico.

Se o indivíduo apresenta uma baixa quantidade dos neurotransmissores em questão, suas emoções ficam comprometidas e a pessoa tende a ter depressão.

 

  • Genética

 

Fatores relacionados à genética também devem ser considerados de acordo com estudos realizados, se os pais têm depressão os filhos possuem grande chances de ter.

 

  • Doenças graves

 

Doenças graves podem desencadear, isso ocorre devido às complicações de tratamentos dolorosos, a debilitação, incapacidade física e uso de determinados medicamentos.

 

  • Eventos estressantes

 

Eventos e rotinas estressantes como no trabalho ou qualquer outra coisa que gere muita pressão.

 

  • Traumas

 

Situações traumatizantes como sequestros, abusos, acidentes, entre outros.

Depressão pós-traumática, o que é?

Como listado anteriormente, alguns fatores desencadeiam a depressão. A depressão pós-traumática, como o próprio nome diz, está relacionado aos traumas.

De acordo com estudos, a depressão é secundária ao Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

TEPT

O transtorno de estresse pós-traumático ocorre geralmente em indivíduos que estiveram expostos à eventos traumáticos, como acidentes, perdas de entes queridos, abusos, atos violentos, entre outros (sendo diagnóstico em 14 a 25% dos casos).

Cerca de 80% dos casos de TEPT apresentam pelo menos um outro transtorno psiquiátrico aliado, sendo em sua maioria a depressão.  Os demais são: transtorno de ansiedade generalizada, fobia simples, fobia social e transtorno de personalidade.

Indivíduos com estresse pós-traumático aliado à depressão são mais angustiados e apresentam um efeito sinérgico quanto ao comportamento suicida.

Estudos sugeriram o surgimento da depressão após a TEPT mas por outro lado também propõe que os indivíduos deprimidos apresentam maior risco para desenvolver TEPT, em caso de eventos traumáticos.  Ambos estão estritamente relacionados.

Sintomas do TEPT

Alguns sintomas da síndrome:

  • Reexperiência traumática, onde há pesadelos e lembranças espontâneas do evento traumático;
  • Esquivar, se afastar de tudo aquilo que retome as lembranças;
  • Desinteresse afetivo por atividades antes prazerosas;
  • Distúrbios do sono;
  • Episódios de pânico como coração acelerado, medo de morrer e transpiração;
  • Sentimentos negativos.

Tratamento

O principal tratamento indicado é por terapia cognitivo-comportamental  e com uso de remédios como ansiolíticos ou antidepressivos.

Somente um médico especializado pode fazer a indicação do remédio e do tratamento ideal, portanto se você se identificou com algum dos sintomas abaixo ou reconhece em alguém, procure ou indique um profissional adequado.

Lembre-se sempre, sua saúde mental é tão importante quanto a física.

 

Por Alexandra Almeida

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here