Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora
Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora

O cérebro é o principal órgão do Sistema Nervoso e é o responsável pelo controle do corpo, entenda a seguir como ocorre o funcionamento do cérebro na depressão.

A saúde mental é um tema que deve ser discutido em diversas situações, aliada à saúde física ela garante o bem-estar e a qualidade de vida.

Uma das doenças que afetam a saúde mental é a depressão, que ultimamente vem se tornando cada vez mais comum entre as pessoas e atingindo jovens e adultos de todas as idades.

É importante saber o que é depressão, que é além de uma tristeza ou um vazio profundo, é uma doença séria que precisa ser tratada de forma adequada.

A seguir entenda o funcionamento de um cérebro com depressão.


Leia também: Sintomas da depressão: descubra quais são


Funcionamento do cérebro na depressão

A neuropsicologia é definida como ciência aplicada que estuda as disfunções cerebrais sobre o comportamento e cognição; a neurobiologia é definida pelo estudo das células e sua organização.

Para entender o funcionamento do cérebro na depressão determinados estudos de ambas áreas têm como objetivo compreender as correlações clínico-patológicas do transtorno.

Neurobiologia da depressão

As regiões que mais foram estudadas pela neurobiologia da depressão são as regiões frontais e suas conexões.

Área Frontal

Alterações localizadas

Foi encontrada alterações na área frontal, onde se levou em conta as alterações clínicas que são relacionadas a tomada de decisão, capacidade executiva e mediação do comportamento emocional.

Foi identificado que na região subgenual pré-frontal cortical do cérebro havia uma redução no volume anatômico, a região é relacionada com a geração de palavras por associação.

Essa região é ativada quando se induz o indivíduo a ter pensamentos tristes, em um cérebro com depressão quando é experimentado tais pensamentos pode ocorrer uma hiperatividade associativa.

Alterações nas principais conexões

  • Identificou-se alterações na substância branca subcortical, comumente ocorre no transtorno bipolar em idosos, essas alterações repercutem à efeitos neurodegenerativos de episódios de humor;
  • Alteração funcional do sistema fronto estriatal, redução de fluxo sanguíneo e metabolismo;
  • Redução do metabolismo cerebral e aumento do metabolismo de glicose em regiões límbicas, principalmente na amígdala.

 Neuropsicologia da depressão

A neuropsicologia da depressão baseada em estudos identificou que o cérebro com depressão apresenta redução das habilidades atentivas e lentidão.

Pontos estudados:

  • Atenção e memória

Foi identificado alteração na capacidade da memória imediata e atenção além do comprometimento da capacidade de sustentar a atividade cognitiva e motora, no entanto esses efeitos ocorrem de acordo com a gravidade do quadro do paciente.

  • Função executiva

Alguns pontos relacionados à função executiva foram encontrados, como na “flexibilidade mental”, na “estruturação de estratégias e planejamento” e no “processo de iniciação e supervisão”, tais pontos no cérebro com depressão se mostraram alterados.

  • Emoção e tomada de decisão

Há uma maior dificuldade em tomar decisões a insegurança toma conta das pessoas nos momentos de estresse.

Saúde mental e depressão

Reforço novamente que a saúde mental é tão importante quanto a saúde física, atente-se aos sintomas da depressão e procure um profissional que possa te auxiliar.

 

Por Alexandra Almeida


Leia também: Diagnóstico de depressão: como funciona? e A solidão na síndrome do pânico.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here